Mulheres no Varejo debate a contratação feminina para cargos de alta liderança

0 172

Inclusão das mulheres em cargos de alta liderança. Esse tem sido um grande desafio entre as corporações varejistas, que ainda são lideradas, quase que exclusivamente, por homens, mesmo que para coordenar um mercado predominantemente feminino, já que 80% dos shoppers brasileiros são mulheres.

O tema é a grande causa do grupo Mulheres do Varejo,  fundado por Vanessa Sandrini, CEO do Grupo Rondelli; e Fátima Merlin, diretora da Connect Shopper, que completou um ano de atuação, com mais de nove mil participantes numa rede ativa de colaboração. Em um ano de atuação, o grupo conseguiu recolocar 13 executivas que estavam fora do mercado de trabalho por terem ficado cuidando dos filhos, ou tinham sido demitidas depois da gravidez. 

Para debater sobre os desafios que o País enfrenta na questão da inclusão da mulher em altos cargos de liderança, o MDV reuniu na última semana, na capital paulista, um grupo seleto de executivos (entre diretores de RH do varejo, headhunters e formadores de opinião), que puderam colocar à mesa o que suas organizações têm feito, ou o que eles têm visto, e que podem servir de inspiração para melhores práticas. Entre os convidados estavam executivos do Tenda Atacado, FastShop, Grupo Pereira, Bradesco, Exec, Talenses, IBEF Mulhers, Innit, Caccuri.

Vanessa lembrou que o MDV é parte de uma iniciativa que promove a diversidade. “Através da diversidade nossos resultados estão mais próximos de serem alcançados.
O tema ainda é visto como tendência, quando já deveria ser uma realidade. Trata-se de uma mudança. O nível de aceleração que estamos sofrendo está impossível de administrar tudo o que a gente precisa mudar como pessoa, como executivo, como pais de família, mas uma mudança permeia as três posições: construir um ser humano melhor. Então, é isso o que a gente faz aqui hoje. Encontrar caminhos e possibilidades para nos transformarmos em alguém melhor, atuando com essa sociedade e conectando pessoas, para que essa transformação seja real.”

Fátima ressalta a importância de ser ter mais mulheres em cargos de liderança, para que a jornada não seja solitária, como tem sido para a grande maioria delas. “Ao se contratar mais mulheres, há o ganho de voz, de equilíbrio para o mundo corporativo, para o varejo. Não há acesso a currículos de mulheres, nota-se uma dificuldade em se inspirar em mulheres para pode se desenvolver e chegar lá. Sendo assim, o desafio está em informar, orientar, trocar experiências em todos os níveis.”

Ela lembra que as estatísticas ajudam a mostrar que ter a diversidade não é só uma questão da mulher na liderança, a diversidade traz, de fato, resultados para a produtividade, para a rentabilidade, para as vendas, então ela atua em vários campos, na criatividade e na inovação, na inclusão da nova era e também em resultados efetivos que tanto o varejo olha, espera e quer.

O MDV promoveu este evento para que as contratações acontecem de forma sustentável, e cada vez mais, é preciso unir esforços, para que a tríade da transformação possa acontecer. “A gente está em busca do equilíbrio, não de facilidades, mas de oportunidades”, enfatiza Fátima.

Assinatura ONU Mulher – É importante destacar que Vanessa Sandrini, fundadora do MDV, assinou o pacto global com a ONU Mulheres no dia do evento, fazendo com que o Grupo Rondelli faça parte deste programa e desta forma, possa estender o projeto para todo o grupo.

Dia 5 de dezembro, o Mulheres do Varejo promoverá um grande evento, o III Encontro Nacional Mulheres do Varejo – Uma revolução silenciosa: Humanidade e Tecnologia. Conectar para evoluir –, no CUBO Itaú, às 17h; e, em breve, um livro repleto de histórias inspiradoras será lançado.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.