Home office motivado: 6 dicas para você manter o seu time determinado na crise

0 304

Por Marc Tawil, empreendedor e comunicador multiplataforma. Head da Tawil Comunicação

Com o confinamento sendo realidade para uma parte significativa das empresas do país e do mundo, surge um desafio extra para aqueles que lideram equipes: como manter o time coeso, produtivo e motivado, em meio a um mar de más notícias e falta de perspectivas?

Mesmo que tenhamos em algum momento da carreira experimentado trabalhar remoto, ou até que tivéssemos larga experiência no assunto, desta vez, a história é diferente. O trabalho em si, acredite, não é a parte mais difícil.

Como empreendedor pela Tawil Comunicação, agência com 6 profissionais, lidando diariamente com as equipes dos clientes e vendo amigos e conhecidos se desdobrarem em 12 para manter fluxos positivos de trabalho em seus negócios, notei que a motivação tem sido um desafio brutal quando atuamos apenas online – e ainda por cima confinados.

Nesta guerra silenciosa contra um inimigo letal, invisível, incolor e inodoro, o covid-19, não há vencedores. Ativamos o “modo sobrevivência” ao abrir os olhos e o desligamos assim que deitamos a cabeça no travesseiro.

Há dias que nem isso.

Massacrados pelo climão, zelando pela saúde física, mental e financeira de suas famílias e as suas, colaboradores tendem, e com razão, a deixar-se abater ora pelo desânimo, ora pelo medo (gestores igualmente).

Como estimulá-los?

Aqui vão 6 caminhos que tenho seguido para manter os nossos talentos envolvidos durante a quarentena. Se fizer sentido para você, te sugiro:

1. Faça videoconferências diárias

Optamos pelo Skype. Mas existem diversos outros aplicativos e softwares que fazem um serviço parecido, também gratuitamente, e com experiências bem-sucedidas. Vídeos, diferentemente de áudios ou textos, humanizam, permitem uma melhor interação e, nesses tempos bicudos, favorecem até boas risadas. Uma vez por dia é o ideal. Duas, apenas se necessário. Importante: agende conversas com a pauta definida.

2. Hora do home, hora do office

Uma pausa para refletir sobre tudo o que está acontecendo, para dividir dicas e insights sobre produtividade, para falar dos pais, dos cônjuges, dos pets e das crianças, sobre como cada um lida com o lockdown, pode ser tão ou mais produtivo do que o trabalho em si. A escuta entra como aliada. Lembre-se que existem colegas que só terão esta conversa em grupo no dia.

3. Gere valor

Se encontrou algo que possa dividir, uma dica, uma leitura, uma série, um insight, não economize. Pessoas precisam de pessoas mais do que nunca na pandemia, e gerar valor está em tudo: nas conversas, na forma com a qual você se preocupa com o próximo e, sobretudo, como você demonstra isso. A crise separará os que falam daqueles que agem. Prefira estar no segundo time.

4. Inove

São inúmeros os exemplos de quem está fazendo diferente: empresas motivam seus times com aulas de yoga online, sessões de psicananálise, meditação, lives, canções de ninar e até pizzadas virtuais. Momentos assim ajudam a distensionar e demonstrar um acolhimento que, nem sempre, a proximidade física permite. Com a vida parecendo estar passando em câmera lenta, atividades que não levem os nomes de “crise”, “coronavírus”, “isolamento” ou “pandemia” são bastante bem-vindas.

5. Elabore um futuro promissor

Em tempos difíceis como os de agora, colaboradores tendem a temer pelo seu futuro e pelo futuro da empresa. Falando sempre a verdade, e nada mais que a verdade, mostre a eles os caminhos e os objetivos que vêm sendo desenhados para alcançar um futuro seguro e próspero. E qual o papel de cada um para alcançar este lugar. Isto cria um senso de coletividade e fortalece a cultura da empresa.

6. Seja empático

Esteja presente e disponível para as dúvidas que seus funcionários possam vir a ter e jamais deixe que as suas preocupações como gestor ou líder de equipe atinjam e desmotivem o seu time. Não que você deva esconder a real situação da companhia, longe disso, entretanto, as suas pré-ocupações, além de não contribuir em nada com a produtividade no home office, geram incertezas e correm o risco de provocar um tsunami de inquietações.

Culturas fortes de motivação se moldam com o tempo. Dão trabalho. Porém, são momentos únicos e históricos como os que vivemos hoje que têm potência para ruir culturas aparentemente sólidas ou agir como sementes de um novo momento.

Na crise, prosperam aqueles que se doam e não os que esperam sentados pela solução.

Menos palavras, mais atitude.

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.