Empresários que dormem mais têm melhores ideias

0 65

É hora de desconstruir a ideia de que empresários bem-sucedidos dormem pouco, mostram novos estudos. Divulgadas pelo Harvard Business Review, novas pesquisas analisam funções básicas requeridas por empreendedores iniciantes, como geração de novas ideias e análise de oportunidades, em diferentes estados de cansaço. A conclusão, após a série de três estudos, é de que empresários tendem a tomar piores decisões quando comparados a colegas mais descansados.

O primeiro estudo analisou o comportamento de 784 participantes em relação a três materiais diferentes. Em cada um dos casos, os empresários precisavam analisar oportunidades de negócio criadas por um time de executivos e investidores. Das três ideias, duas eram potencialmente mais interessantes que a terceira. A terceira, entretanto, continha argumentos “superficiais” colocados justamente para enganar um olhar mais desatento.

Os participantes analisaram os materiais em diferentes estados de cansaço. Na conclusão, os pesquisadores perceberam que os mais cansados listavam a ideia menos atrativa como a com melhor potencial de negócio. Para o time de cientistas, isso mostra que quem dorme menos acaba tendo uma visão superficial sobre uma proposta, em vez de analisar o material como um todo.

Na segunda pesquisa, foram examinados 101 executivos num período de dois dias. Nesse teste, eles eram obrigados a sugerir ideias de negócio. Mais uma vez, o estudo mostrou que os mais descansados conseguiram trazer propostas menos óbvias, além de desenvolver e defender as próprias ideias com argumentos melhores.

Finalmente, um estudo foi conduzido com estudantes de empreendedorismo. Os jovens foram submetidos aos mesmos testes das turmas de empresários e executivos. Dessa vez, no entanto, foram separados dois grupos, um com mínimo de sete horas dormidas e outro com pessoas que não dormiam há 24 horas. Mais uma vez, o grupo mais cansado se mostrou vítima “das superficialidades” e também incapaz de gerar ideias de negócio criativas.

Fonte Época Negócios
Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.