Executivos que ocupavam cargos importantes na operação brasileira do Walmart deixaram a empresa ontem (09). Ricardo Garcia, vice-presidente comercial de perecíveis e Sergio Nóia, vice-presidente comercial responsável por alimentos, higiene e marcas próprias foram dispensados pela varejista em um momento de redução de custos. Com meta de estabilizar a operação nacional até 2019, o Walmart já havia enxugado o quadro de funcionários no segundo semestre de 2016, quando Adriana Muratore, vice-presidente de marketing foi demitida.

De acordo com publicação do Jornal Valor desta terça-feira (10), o Walmart tem buscado reverter resultados negativos de algumas bandeiras, especialmente do seu hipermercado, por meio das reformas de lojas e da política comercial “preço baixo todo dia”.

“A reinvenção do hipermercado faz parte de uma série de iniciativas para melhorar a experiência de compras nas lojas e simplificar processos na operação”, disse a varejista em nota enviada ao jornal.

Com resultados abaixo do esperado, cerca de 60 lojas foram fechadas na virada de 2015 para 2016. Ainda existe uma lista com outras 40 unidades deficitárias que podem ter suas operações encerradas no futuro. Por aqui, o grupo possui atualmente 485 pontos de venda entre hipermercados, supermercados, atacados e clube de compras.