Franquias: 9 dicas para quem quer começar o negócio

0 42

 
Abrir o próprio negócio é o desejo de inúmeros brasileiros. Muitos, inclusive, já realizaram esse sonho, investindo em um dos setores que mais crescem no Brasil, o de franquias. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), no período de 2002 a 2012, o número de unidades franqueadas saltou de 56 mil para cerca de 105 mil. Isso representa mais de 940 mil empregos diretos gerados pelo setor e um faturamento, em 2012, de R$ 103,292 bilhões.

Diante desta evolução, dúvidas acerca dos segmentos promissores, das redes de franquias e da concorrência são comuns, afinal, as decisões iniciais a serem tomadas pelo futuro empresário serão significativas para o sucesso e a longevidade do negócio. Para o sócio-diretor do VIVA Spa Tecnológico, Danny Kabiljo, o franchising oferece excelentes oportunidades de crescimento, no entanto, é fundamental investir em conhecimento, ter iniciativa e habilidade para lidar com o mercado. “A escolha adequada da rede de franquia, que seja aderente ao perfil do empreendedor, é uma das condições essenciais para ter êxito nesta empreitada”, ressalta o executivo.
 
Foi pensando na afinidade com o segmento e na prosperidade que tende a oferecer, que Kabiljo decidiu investir no setor de beleza, afinal, este foi um dos mercados que mais se alavancou nos últimos anos e, hoje, divide com o de alimentação o topo da lista dos que mais cresceram em números de novos franqueadores. “É importante que o empreendedor tenha essa percepção de mercado antes de investir. No segmento de beleza, por exemplo, podemos observar que a nova classe média brasileira e a participação do público masculino e são fatores que vêm impulsionando o segmento no país”, observa o executivo.
 
Por ser um mercado promissor, o franchising também vem encantando os mais jovens, especialmente aqueles com idade entre 26 e 35 anos. A maior parte deles, inclusive, está se arriscando pela primeira vez na seara do empreendedorismo. No entanto, independentemente da faixa etária, é essencial tomar alguns cuidados. O empresário Danny Kabiljo dá algumas dicas para que os futuros empresários não transformem o sonho do próprio negócio em um pesadelo:
 
1 – Ter iniciativa é fundamental. Além disso, esteja sempre atento ao que acontece no mercado em que pretende atuar;
 
2 – Busque franquias que ofereçam treinamento e suporte total para quem está começando. O treinamento, além de colaborar com a excelência no atendimento, pode ser determinante para o sucesso da operação;
 
3 – Arriscar-se faz parte de todo e qualquer negócio. No entanto, correr riscos é diferente de correr perigo. Mantenha-se informado. Se for tomar decisões complexas, ao menos, elas terão riscos calculados;
 
4 – Atenção à concorrência. Quem investe em uma franquia não deseja ter nas proximidades outras lojas da mesma marca. Entretanto, apesar de ser raro prever a exclusividade ao franqueado na região em que atua, o contrato pode garantir a preferência. Se por exemplo, a marca decidir abrir uma segunda franquia dentro do mesmo shopping, ela será oferecida primeiro a quem já tem uma loja estabelecida;
 
5 – Identifique-se com o empreendimento. Pesquise franquias pelas quais se interessa e que despertem o seu desejo de trabalhar com alegria e satisfação; 
 
6 – Estabeleça um relacionamento próximo com o franqueador, com os demais franqueados ou com pessoas que já estão atuando no segmento de franchising há algum tempo. É mais uma forma de ficar por dentro de todas as novidades o setor;
 
7 – Se optar em se tornar um franqueado de uma rede já estabelecida, analise a situação da empresa. As marcas são obrigadas a fornecer aos interessados um documento chamado Circular de Oferta de Franquia (COF), que traz todas as informações sobre a empresa como: balanços, pendências judiciais, direitos e deveres de ambas as partes, inclusive, nomes e contatos dos franqueados que se desligaram da marca nos últimos doze meses;
 
8 – Planejar é preciso. Tenha visão do que quer,  de onde quer chegar e o que precisa fazer para isso. Crie planos de ações e avalie as melhores alternativas para alcançar os objetivos estabelecidos;
 
9 – Um bom empreendedor deve ser um bom ouvinte e saber estimular permanentemente sua equipe. Seja o líder de sua empresa.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.