Polícia encontra 3 toneladas de comida estragada em loja do Walmart


A Polícia Civil apreendeu, na tarde desta terça-feira (18), três toneladas de alimentos vencidos e estragados em uma unidade do Walmart na Barra Funda (zona oeste de São Paulo). A fiscalização ocorreu após um cliente ir até a delegacia ao notar que um pão comprado estava embolorado.

De acordo com a polícia, os alimentos apreendidos são, em sua maioria, pães, além de bolos e frios. Havia produtos irregulares no estoque da unidade e nas gôndolas, para a venda a clientes.

Segundo a polícia, a gerente responsável pela estocagem e controle dos alimentos na unidade foi presa em flagrante. Posteriormente, foi liberada depois do pagamento de fiança no valor de 30 salários mínimos (R$ 28.110). O valor foi pago pelo Walmart, diz a polícia.

A fiscalização foi feita pelo DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania) após um consumidor ir até a delegacia com um pão embolorado nas mãos. Ele disse que havia acabado de comprar o produto na unidade, que fica na rua James Holland, 668. Segundo a investigação, os produtos não tinham informação sobre procedência nem validade.

A polícia vai solicitar, ainda, vistorias da Covisa (Coordenação de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal Saúde de São Paulo) e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para verificação das condições de armazenamento dos alimentos, assim como das instalações e higiene da unidade.

A polícia diz que consumidores devem procurar o DPPC (rua São João, 1247, República) ou a delegacia mais próxima quando desconfiarem de que algum produto à venda esteja vencido ou estragado. As denúncias também podem ser feitas pelo telefone 181. Em qualquer caso, o anonimato é garantido.

OUTRO LADO
Em nota, o Walmart afirma que a apreensão de 3 toneladas de comida vencida ou estragada em uma de suas unidades foi um “fato isolado”.

“Este episódio consiste num fato isolado, alheio à rotina operacional da empresa”, afirmou, em nota. O Walmart diz que já investiga o caso internamente. “O Walmart já abriu uma sindicância interna para esclarecer o caso e tomar as providências necessárias”. Questionada, a empresa não informou quais serão as medidas tomadas.

A empresa afirmou, ainda, que possui procedimentos internos rigorosos para assegurar a “excelência dos serviços e produtos oferecidos”.

A reportagem entrou em contato com o advogado da gerente, que não quis se manifestar.


Notícias Relacionadas

1 comentário

  1. Makoto Shimizu Usuário diz

    O problema fundamental é a falta de gestão, falta da prática do MBWA = Management By Walking Aroud – Gerentes de Loja de Supermercados devem percorrer diariamente todos os corredores das lojas, examinar pessoalmente as áreas de venda e depósito e fazer com que os encarregados façam o mesmo, todos os dias, várias vezes por dia, conferindo as prateleiras, check-list. O que ocorreu foi a falta de disciplina, fundamental, essencial. E, uma boa relação de confiança e trabalho da equipe.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.