Atacado – Newtrade https://newtrade.com.br Wed, 20 Nov 2019 13:01:38 -0300 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=5.3 https://newtrade.com.br/wp-content/uploads/2017/03/favicon-newtrade.png Atacado – Newtrade https://newtrade.com.br 32 32 No Dia do Atacadista, setor comemora atuação no mercado nacional https://newtrade.com.br/atacado/no-dia-do-atacadista-setor-comemora-atuacao-no-mercado-nacional/ https://newtrade.com.br/atacado/no-dia-do-atacadista-setor-comemora-atuacao-no-mercado-nacional/#respond Wed, 20 Nov 2019 12:22:19 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021474

Data é comemorada em 20 de novembro

O post No Dia do Atacadista, setor comemora atuação no mercado nacional apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

Hoje, 20 de novembro, é o Dia do Atacadista Distribuidor e em meio a tantos desafios, o setor tem muito a comemorar. Basta olhar os resultados da pesquisa do Ranking ABAD/Nielsen 2019 – ano base 2018, realizada pela ABAD – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores em parceria com a consultoria Nielsen, para comprovar como o setor vem se desenvolvendo positivamente no Brasil.

Segundo o estudo anual, que chegou à sua 25ª edição, em 2018 o setor faturou R$ 261,8 bilhões em 2018, a preço de varejo, movimentando 53,6% do mercado mercearil brasileiro, que no ano passado atingiu R$ 488,7 bilhões. A participação de mercado manteve-se estável em relação ao Ranking anterior e permanece superior a 50% pelo 15º ano consecutivo.

Representatividade

A ABAD (Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores) é a entidade de abrangência nacional que representa as empresas atacadistas e distribuidoras que comercializam produtos alimentícios industrializados, candies, bebidas, produtos de higiene pessoal, limpeza doméstica, produtos farmacêuticos, de perfumaria, papelaria e material de construção, entre outros. em mais de cinco mil municípios brasileiros. O atual presidente é Emerson Destro, que está em seu segundo mandato.

A entidade foi criada em 23 de novembro de 1981, em São Paulo, com o objetivo de promover o desenvolvimento da cadeia de abastecimento do Canal Indireto em todo o território nacional, incentivando o intercâmbio entre Indústria, Varejo Independente, prestadores de serviços e empresas do segmento.

 

 

 

 

 

 

 

 

O post No Dia do Atacadista, setor comemora atuação no mercado nacional apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/no-dia-do-atacadista-setor-comemora-atuacao-no-mercado-nacional/feed/ 0
“A crise foi melhor para nós”, diz CEO do Grupo Martins https://newtrade.com.br/atacado/a-crise-foi-melhor-para-nos-diz-ceo-do-grupo-martins/ https://newtrade.com.br/atacado/a-crise-foi-melhor-para-nos-diz-ceo-do-grupo-martins/#respond Tue, 19 Nov 2019 12:43:39 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021448

A companhia na qual ele trabalha há 25 anos está presente em todos os municípios do país e ainda leva os cerca de 25 mil itens a 2.500 distritos, aproximadamente.

O post “A crise foi melhor para nós”, diz CEO do Grupo Martins apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

Flavio Martins, CEO do Grupo Martins, tem o desafio de manter a operação do maior atacadista-distribuidor do Brasil em perfeita sintonia. Sim, um desafio. A companhia na qual ele trabalha há 25 anos está presente em todos os municípios do país e ainda leva os cerca de 25 mil itens a 2.500 distritos, aproximadamente. A missão se tornou ainda mais difícil quando a empresa passou a ser um marketplace B2B, servindo como vitrine para que seus concorrentes também vendam produtos.

A nova plataforma está em operação desde o fim do ano passado e já representa 25% das vendas do grupo. O CEO (que não tem parentesco com a família do fundador) acredita que em 2020 essa participação chegará a 30%. Nem o problema de conectividade ainda enfrentado em parte do país deve atrapalhar a meta de avançar com o marketplace.

Para expandir as vendas no ambiente digital, foi preciso investir R$ 15 milhões na integração completa ao Sistema Martins, que inclui cartão próprio, banco, maquininha, seguro e conta digital. Segundo a empresa, os 500 maiores players do Brasil já estão vendendo no www.martins.com.br. Até o momento, são 350 mil varejistas cadastrados na plataforma, que oferece ao redor de 25 mil itens.

Fundado em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, o Grupo Martins tem 90% dos clientes com atuação no varejo de pequenos e médios portes. Sua frota chega a mil caminhões próprios e outros 300 terceirizados. Os representantes comerciais autônomos chegam a 3.500. Com o crescimento do B2B, eles passaram a ter um papel mais voltado à consultoria, mas também recebem um percentual sobre as vendas do marketplace originadas em suas áreas de atuação. A seguir, trechos da entrevista com o CEO da companhia.

Com uma atuação nacional, de que forma a empresa sentiu os efeitos da crise econômica dos últimos anos? A economia influenciou na decisão de avançar com o marketplace?

O marketplace era uma evolução natural no B2B. Nosso negócio está bastante complicado, com concorrência grande e enormes desafios. Mas, sinceramente, o desafio é igual para todo mundo. Se o nível da água subiu, foi para todos. Mas somos melhor estruturados, mais presentes, temos uma gama melhor de fornecedores e, no fim, a crise acabou sendo melhor para gente.

Como foi tomada a decisão de partir para o marketplace B2B?

O Grupo Martins, desde que foi criado, há 66 anos (que serão completados em 17 de dezembro), já era um marketplace. De um lado tem gente que quer vender, de outro quem quer comprar. O marketplace faz o papel de unir. São cerca de 500 indústrias que vendem para 220 mil clientes. O que fizemos foi levar isso para tecnologia moderna, com meios de pagamento integrados com banco, ferramentas sofisticadas e com o auxílio da base de informação. A decisão demandou um monte de ajustes na parte de informações, de tecnologia e de logística. Conseguimos aumentar a oferta de produtos e de serviços.

Como foi o início do projeto do marketplace?

Começamos a trabalhar no projeto a partir de 2017, mas viramos a chave no fim de 2018. Para ajudar na divulgação, passamos a estampar nos nossos caminhões o site para as compras. Em 2017, esse canal representou 17% das vendas e atualmente já responde por 25%. Estamos construindo o orçamento de 2020 agora, mas a expectativa é superar os 30% de participação na receita no ano que vem.

Quais dificuldades a companhia enfrentou ao incluir esse novo canal de compras?

Imagina ter um concorrente publicando ofertas no nosso marketplace. Se ele tiver competência melhor ou categorias ou sortimentos que não temos, o cliente ganha. A pior coisa que pode acontecer é investir em recursos para atrair o cliente e ele não comprar nada. Se ele comprar no marketplace algo do concorrente, certamente vai comprar algo vendido por mim também. Somos o agente de integração dessas duas pontas. Nossa missão é ligar produção e consumo.

Vender para todo o Brasil, apesar dos problemas de acesso à internet, ainda afeta os negócios?

Temos solução para esse problema com a oferta de um cartão de crédito próprio que permite levar acesso à internet. Quando falamos de solução de tecnologia e gestão do varejo, isso passa pela integração financeira do varejista, que compra o serviço para que possa receber suas vendas com cartão. Para isso, contamos com o braço financeiro para levar a solução. Agora, estamos falando com a Hugges, que já é nossa fornecedora, para um projeto-piloto que prevê levar a internet para locais sem acesso, em parceria com o Facebook. Já há alguns testes no interior de São Paulo. É instalada uma antena de satélite, que é ligada a um sistema e possibilita o wi-fi em torno da loja. O varejista pode dar acesso aos clientes, ou seja, a inclusão vai além do comerciante. Nesse negócio, é fundamental o acesso à internet para o nosso cliente. Se ele precisar, vamos viabilizar.

Como os vendedores ficaram nesse modelo de negócio?

Outro desafio é trazer a força de vendas. Temos de deixar muito claro que não queremos obsoletar os vendedores. O marketplace é uma ferramenta que permite a eles estarem muito mais presentes no cliente. Para estimular, estipulamos que toda venda da base de clientes do vendedor, mesmo feita pelo marketplace, seria comissionada. Isso porque foi ele quem ensinou o cliente a usar o site para as compras. Manteremos essa regra enquanto o vendedor estiver conosco. Para ele há muitos ganhos, porque passa a contar com novas ferramentas de marketing e de tecnologia para chegar ao cliente e estimular a venda.

Mas não existe o risco de o vendedor ser trocado pelo marketplace?

Em menor ou maior grau, pode acontecer. Mas agora, mais do que nunca, o vendedor passa a ter um papel de consultor no ponto de venda. Ele precisa estar atualizado sobre dados do setor, pesquisas, novas tecnologias para poder apresentar propostas ao ponto de venda, principalmente aqueles pequenos supermercados, com até 4 mil SKUs (tipos de produtos).

O cliente, mesmo o pequeno, tem autonomia para interagir com o marketplace da companhia?

Construímos várias interfaces para o varejista, com capacidade para atender a diferentes tecnologias oferecidas hoje no mercado. O sistema aponta o que vai faltar no estoque e, como está integrado ao Martins, mostra a cotação e prazo de entrega. Por isso o vendedor passa a ser mais consultor de loja do que nunca. Esse tipo de trabalho que ele passa a fazer não tem máquina que faça.

Isso muda a vocação da empresa?

Sim, mas no sentido de ampliar a atuação e consolidar nossa posição como elo de distribuição da indústria no mercado brasileiro. Atualmente, estamos no Brasil todo, ou seja, em cerca de 5.800 municipais e por volta de 2.500 distritos. O que nós vendemos no Martins é uma expectativa de margem. Foi assim no início da nossa história, quando a expectativa de margem era sobre o fumo de corda e o óleo a granel. Com o tempo surgem novas demandas. Mas a expectativa de margem não mudou e não vai mudar. Quem tem CNPJ pode comprar no Martins, esse é o ponto de partida, e temos trabalhado nossa comunicação para tornar essa informação mais acessível.

Não há restrições, por exemplo, quanto ao tamanho ou setor?

Não. Atendemos a mais de 200 funerárias. Como? São negócios que precisam de lâmpada, de computador, televisão, impressora, produto de limpeza. O sortimento é grande. Da mesma forma que temos pelo menos 20 cemitérios particulares entre os nossos clientes, que compram esse tipo de produto. Oferecemos do arame farpado para fazer cerca ao freezer usado na floricultura.

O post “A crise foi melhor para nós”, diz CEO do Grupo Martins apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/a-crise-foi-melhor-para-nos-diz-ceo-do-grupo-martins/feed/ 0
Assaí avança e abre mais uma loja em Goiás https://newtrade.com.br/atacado/assai-avanca-e-abre-mais-uma-loja-em-goias/ https://newtrade.com.br/atacado/assai-avanca-e-abre-mais-uma-loja-em-goias/#respond Tue, 19 Nov 2019 11:56:51 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021430

Nova unidade está localizada em Anápolis, GO

O post Assaí avança e abre mais uma loja em Goiás apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

Ampliando sua presença no estado de Goiás, o Assaí Atacadista inaugura loja em Anápolis nesta terça-feira, 19. A marca está presente no estado desde 2010, onde conta com outras cinco unidades: três em Goiânia, uma em Rio Verde e uma em Luziânia. A nova loja, a 155ª da rede, demandou investimento de R$ 64 milhões, considerando as obras de construção, compra de maquinário e estoque.

“Anápolis compõe o maior corredor de riquezas do País: o eixo Goiânia-Anápolis-Brasília, que também é um dos maiores pólos de atração de novos negócios. Desde a sua fundação, se destaca pela produção de carne e grãos e sua localização geográfica estratégica, próxima de duas grandes capitais. Era fundamental para nós estarmos aqui e oferecer a melhor opção de compra para moradores e comerciantes locais”, afirma Belmiro Gomes, presidente do Assaí Atacadista.

A unidade Assaí em Anápolis conta com mais de 5 mil m2 de salão de vendas, 400 vagas de estacionamento e 26 checkouts, incluindo caixas exclusivos para empresas. Preparada para atender não só clientes finais, mas também micro e pequenos comerciantes, a loja oferecerá mais de 7 mil produtos.

O post Assaí avança e abre mais uma loja em Goiás apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/assai-avanca-e-abre-mais-uma-loja-em-goias/feed/ 0
Makro Atacadista reinaugura sua loja conceito do Butantã https://newtrade.com.br/atacado/makro-atacadista-reinaugura-sua-loja-conceito-do-butanta/ https://newtrade.com.br/atacado/makro-atacadista-reinaugura-sua-loja-conceito-do-butanta/#respond Mon, 18 Nov 2019 11:58:25 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021414

Unidade foi reformada para aprimorar experiência de compra do cliente

O post Makro Atacadista reinaugura sua loja conceito do Butantã apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

O Makro Atacadista reinaugurou sua loja conceito, localizada no Butantã, em São Paulo. A unidade passou por um processo de renovação, com um novo layout, novos pontos de coleta seletiva de lixo, além de uma oferta maior de produtos, distribuídos em prateleiras ainda mais espaçosas e iluminadas.

Após uma pesquisa e análise das principais necessidades e desejos de seus consumidores, a unidade Butantã, nascida em 1978, recebeu uma reforma em diversos setores. O setor de perfumaria e bebidas foi revitalizado, oferecendo maior comodidade aos clientes, além de toda a loja possuir um novo projeto luminotécnico com lâmpadas de LED sustentáveis, favorecendo a exposição dos produtos. A grande novidade fica por conta da instalação de uma padaria, que irá produzir pães e doces todos os dias, além do novo ambiente para frutas, legumes e verduras com tecnologia para serem mantidas frescas o tempo todo.

“O cliente é o nosso principal parceiro e sempre foi o centro do nosso negócio. A ideia é que a loja do Butantã seja uma referência de reformulação para toda a rede, com foco em oferecer ainda mais conforto e facilidade no momento da compra, com novidades como o pagamento por aproximação.”, conta Antero Filippo, COO do Makro Atacadista no Brasil.

O post Makro Atacadista reinaugura sua loja conceito do Butantã apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/makro-atacadista-reinaugura-sua-loja-conceito-do-butanta/feed/ 0
Villefort inaugura loja em Itabira-MG https://newtrade.com.br/atacado/villefort-inaugura-loja-em-itabira-mg/ https://newtrade.com.br/atacado/villefort-inaugura-loja-em-itabira-mg/#respond Thu, 14 Nov 2019 12:16:20 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021383

Com a abertura a rede chega a 23 lojas

O post Villefort inaugura loja em Itabira-MG apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

O Grupo Villefort acaba de chegar a Itabira – MG. A loja foi aberta ontem (13) e com essa inauguração, a rede chega a marca de 23 lojas.

O Grupo Villefort Atacado e Varejo, que iniciou suas atividades na Ceasa Minas, vem expandindo suas operações para várias cidades importantes como: Belo Horizonte, Contagem, Ribeirão das Neves, Santa Luzia, Montes Claros (Norte de Minas), Coronel Fabriciano (Vale do Aço), Divinópolis, Juiz de Fora e sua primeira unidade
fora do território mineiro, na cidade de Jataí, no estado de Goiás.

O post Villefort inaugura loja em Itabira-MG apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/villefort-inaugura-loja-em-itabira-mg/feed/ 0
Assaí inaugura loja em Indaiatuba-SP https://newtrade.com.br/atacado/assai-inaugura-loja-em-indaiatuba-sp/ https://newtrade.com.br/atacado/assai-inaugura-loja-em-indaiatuba-sp/#respond Wed, 13 Nov 2019 11:48:23 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021338

A nova unidade, a 154ª da rede no País e 72ª no Estado de São Paulo, demandou investimento de R$ 55 milhões

O post Assaí inaugura loja em Indaiatuba-SP apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

O Assaí Atacadista abre as portas de sua unidade em Indaiatuba nesta quinta-feira, 14, às 9h. A nova unidade, a 154ª da rede no País e 72ª no Estado de São Paulo, demandou investimento de R$ 55 milhões e gerou cerca de 500 postos de trabalho, diretos e indiretos, aquecendo a economia local.

“Indaiatuba é um reconhecido polo industrial e uma excelente opção para os que buscam qualidade de vida. A Região Metropolitana de Campinas já está entre as mais inovadoras do País e vem atraindo investimentos e mão de obra qualificada, reunindo todas as características necessárias para a implantação do nosso negócio, que oferece atendimento de qualidade e a melhor opção de compra para os clientes”, afirma Belmiro Gomes, presidente do Assaí Atacadista.

Localizada na Avenida Francisco de Paula Leite, nº 2242, no Parque das Nações, a nova loja Assaí conta ainda com uma galeria comercial, um amplo espaço onde o cliente encontrará uma série de produtos e serviços, incluindo lojas de itens para a casa, autopeças e praça de alimentação, distribuídos em 5.230 m2 de área bruta locável.

A unidade funcionará de segunda-feira a sábado, das 7h às 22h, e aos domingos e feriados, das 8h às 18h. Serão aceitas diferentes formas de pagamento, como cartões de crédito e débito das principais bandeiras, dinheiro, cheque e vale-alimentação.

 

O post Assaí inaugura loja em Indaiatuba-SP apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/assai-inaugura-loja-em-indaiatuba-sp/feed/ 0
Komprão Koch abre loja em Piçarras https://newtrade.com.br/atacado/komprao-koch-abre-loja-em-picarras/ https://newtrade.com.br/atacado/komprao-koch-abre-loja-em-picarras/#respond Tue, 12 Nov 2019 12:51:38 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021299

A 27ª loja do Grupo Koch em Santa Catarina oferecerá mais de 10 mil itens, ofertas especiais, além de ser a primeira da rede com açougue na proposta de atacarejo

O post Komprão Koch abre loja em Piçarras apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

O Komprão Koch Atacadista de Piçarras abre as portas nesta terça-feira, 12. O dia será marcado por um grande evento de inauguração. A nova unidade está localizada na Rodovia SC 414, bairro Nossa Senhora da Paz, em Balneário Piçarras.

A loja possui mix 10 mil itens, mais de 8.000m² de área construída e estacionamento com capacidade de 170 vagas. A novidade é o setor de açougue, em que os clientes poderão optar por cortes personalizados de carnes frescas. Essa será a primeira loja do Komprão a ofertar o serviço. “O lançamento de mais este serviço vem ao encontro do propósito do grupo que é oferecer mais praticidade ao consumidor final e transformadores”, afirma o presidente do Grupo Koch, José Koch..

Expansão 2019

Fundado na cidade de Tijucas, o Grupo Koch se consolidou nos últimos 25 anos no Litoral Catarinense e, mais recentemente, tem ampliado a atuação geográfica em direção às regiões Norte e da Grande Florianópolis. A loja de Piçarras é a 27ª e faz parte dos planos de expansão programada da rede. Este ano, já foram inauguradas uma unidade do Koch Supermercados em Penha e outras três do Komprão, em Barra Velha, Tijucas e Guaramirim. Para dezembro ainda está prevista a chegada do atacarejo a São Francisco do Sul.

Atualmente, o Grupo Koch ocupa a terceira posição no ranking das maiores redes supermercadistas catarinenses e está entre as 33 maiores do Brasil, conforme estudo publicado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras) 2019. A posição é fruto de investimento contínuo nos últimos anos. Desde 2012, a rede apresenta um crescimento médio anual de 25%, tendo fechado 2018 com faturamento de R$ 1,14 bilhão – um aumento de 33% em relação ao período anterior, enquanto a média do setor supermercadista nacional foi de 2,1%.

Este ano, R$ 90 milhões estão sendo investidos nas inaugurações e a previsão é encerrar 2019 faturando, pelo menos, R$ 1,6 bilhão nas 28 unidades distribuídas pelo Estado, sendo 16 lojas SuperKoch e 12 do Komprão Koch Atacadista.

O post Komprão Koch abre loja em Piçarras apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/komprao-koch-abre-loja-em-picarras/feed/ 0
O teste de R$ 1 bilhão do grupo Martins que se tornou realidade https://newtrade.com.br/atacado/o-teste-de-r-1-bilhao-do-grupo-martins-que-se-tornou-realidade/ https://newtrade.com.br/atacado/o-teste-de-r-1-bilhao-do-grupo-martins-que-se-tornou-realidade/#respond Mon, 11 Nov 2019 14:02:40 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021276

O marketplace do maior atacadista do Brasil se tornou bilionário na fase de projeto-piloto. Com sua estreia, ele deve representar 25% dos R$ 5,3 bilhões que o grupo deve faturar em 2019

O post O teste de R$ 1 bilhão do grupo Martins que se tornou realidade apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

Há 66 anos no mercado, o grupo Martins é praticamente desconhecido por boa parte dos brasileiros. Apesar de manter uma relação estreita com os consumidores locais. Diariamente, os caminhões da empresa entregam toda sorte de produtos a milhares de varejistas em todo o País. De parafusos e sabonetes a chinelos e tevês de 90 polegadas.

A partir dessa movimentação intensa, porém silenciosa, a companhia mineira traçou o roteiro para se tornar uma gigante do segmento de atacado e distribuição, com um faturamento de R$ 4,8 bilhões.

E foi justamente nos bastidores que o grupo começou a testar, em meados de 2018, uma nova frente de negócios: um marketplace para conectar varejistas e fornecedores.

Passado pouco mais de um ano, o piloto ganhou tração e se tornou uma verdadeira mina de ouro. Com uma receita de R$ 1 bilhão no período, a plataforma foi lançada oficialmente em outubro deste ano. E agora se consolida como uma das principais vias de crescimento do grupo.

“Somos uma empresa mineira. Nós já vínhamos fazendo isso quietinhos, sem contar para todo mundo”, diz, bem-humorado, Flávio Martins, CEO do grupo. “Saímos do laboratório. O que muda agora é a responsabilidade e o desafio.de crescer exponencialmente.”

Apesar do sobrenome, Martins não é parte do clã responsável pelo grupo, fundado em 1953, por Alair Martins. “Eu até pedi para ser adotado, mas não tive sucesso”, brinca o executivo, que está há 25 anos na empresa e é o terceiro presidente fora da família. E o primeiro “da casa”.

Depois de passagens por diversos cargos na operação, ele assumiu como CEO no início de 2018 e, desde então, vem acelerando uma série de iniciativas.

“O marketplace abre a possibilidade de vender qualquer produto, para qualquer comprador com um CNPJ”, diz Martins. “A projeção é de que essa frente represente 25% da receita em 2019.” Para 2020, ele acredita que a fatia chegue a 30%.

A nova plataforma amplia, de fato, o alcance do Martins. De um lado, ela traz produtos e categorias que não compunham o mix tradicional da empresa. Somente na largada, essa vertente já ampliou a oferta da companhia de 17 mil itens para mais de 25 mil produtos.

O portfólio de novidades inclui produtos como cervejas artesanais, colchões e até mesmo betoneiras. E passa, inclusive, pelas ofertas de concorrentes. Ao trazer a Giga Atacado para a plataforma, o Martins acrescentou a esse pacote a categoria de frutas, legumes e verduras, disponível, por enquanto, na cidade de São Paulo.

A ferramenta também é a chave para mudanças de abordagem na logística da empresa, que hoje conta com uma frota de 1,2 mil caminhões, sendo cerca de 900 deles próprios. O grupo tem ainda seis centros de distribuição. E avalia uma nova unidade, ainda sem local definido, no segundo semestre de 2020.

Os vendedores cadastrados têm a possibilidade de usar essa estrutura ou suas operações. Para oferecer mais alternativas a esses parceiros, a ideia do grupo é compartilhar frotas e CDs, não necessariamente proprietários, com outros parceiros logísticos. Tudo, claro, sob sua gestão.

O sortimento mais diversificado, por sua vez, abre o leque do Martins para novos clientes, além dos 220 mil pequenos e médios varejistas que formam a base tradicional e ativa da companhia.

Nesse cenário, a plataforma já conta com 350 mil compradores cadastrados. Ao mesmo tempo, o marketplace traz ofertas de 500 fornecedores que já trabalham com o grupo. E com os produtos de outros 60 novos parceiros.

Na ponta

O Martins também encontrou um caminho para envolver – e não impactar – aquele que talvez seja o maior ativo de sua operação tradicional: um batalhão de 4,5 mil vendedores autônomos.

Distribuídos por todo o País, eles estão sendo responsáveis por divulgar e ensinar os varejistas a comprarem via marketplace. Em troca, recebem comissões pelas transações efetuadas por esses clientes na plataforma.

Essa mesma equipe de vendedores está no centro de duas iniciativas que mostram que a operação tradicional não está em segundo plano. Baseados no grande volume de dados coletados pelo Martins, esses e outros esforços contam com o apoio de conceitos como big data, inteligência artificial e machine learning.

A primeira iniciativa é um chatbot, via WhatsApp, batizado de Super M. A ferramenta oferece aos vendedores em campo uma série de informações, entre elas, as categorias e produtos mais vendidos em suas respectivas regiões. Hoje, o robô já responde mais de 5 mil perguntas diariamente. O próximo passo é estender o recurso aos 3,8 mil funcionários da empresa.

Inspirado no Pokemon Go, outra novidade é o Clickemon. Na prática, o aplicativo facilita a “caça aos clientes”. Ele mapeia os compradores de uma região e fornece ao vendedor dados como as categorias que cada cliente costuma comprar, de quais fornecedores, com qual recorrência e o crédito pré-aprovado que tem com o Martins.

A base de compradores passa, inclusive, por varejistas que nunca mantiveram relação com o grupo. O aplicativo também sugere um roteiro de produtos, categorias e fornecedores que renderão comissões mais polpudas. Lançado no fim de 2018, o recurso tem gerado, em média, uma venda adicional mensal de R$ 10 milhões.

Essas ferramentas também estão sendo adotadas para aprimorar as estratégias em outra frente do negócio: a fidelização dos clientes. “Eu concorro com uma série de atacadistas regionais” diz Martins. “Se eu não fornecer mais inteligência e for melhor do que os outros vendedores que visitam esse varejista todo dia, estou morto.”

Um projeto recente é o IMais. Ainda em testes, o aplicativo parte dos dados de 4 mil lojas conectadas e de todas as informações capturadas pelo Martins para municiar o varejista com um arsenal de comparações com seus concorrentes na região. E traz ainda uma série de sugestões para que ele refine as suas operações.

O pacote passa por questões como venda por funcionário, venda por metro quadrado, número ideal de pessoas na equipe, horários de pico, precificação e gestão de categoria. O processo pode envolver o envio de consultores ao ponto de venda, para aprimorar esses ajustes.

“O varejo ainda é muito baseado apenas no feeling”, diz o executivo. “E os pequenos e médios lojistas são desassistidos em termos de sofisticação de tecnologia e de conhecimento.”

Para impulsionar o desenvolvimento de novos recursos e obter mais insights, o Martins acaba de instalar um lab no InovaBRA, hub de inovação do Bradesco, em São Paulo. Inicialmente, a equipe conta com quatro cientistas de dados e trabalhará à parte do time interno de tecnologia da companhia.

Com essas e outras abordagens, a expectativa é fechar 2019 com uma receita de R$ 5,3 bilhões. O tamanho da operação, bem como a maturidade de sua governança corporativa, sugerem que uma abertura de capital poderia ser um próximo passo para o grupo.

Martins, no entanto, afirma que, apesar de sua posição e de sua longa relação com o clã e a empresa, essa é uma decisão que está fora de seu escopo. Apesar de ser favorável a esse caminho. “Esse é um tema que precisa ser discutido pela família, que detém 75% do negócio”, observa. “Por ora, não pensamos nisso.”

 

O post O teste de R$ 1 bilhão do grupo Martins que se tornou realidade apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/o-teste-de-r-1-bilhao-do-grupo-martins-que-se-tornou-realidade/feed/ 0
Walmart de Franca dará lugar ao Maxxi Atacado https://newtrade.com.br/atacado/walmart-de-franca-dara-lugar-ao-maxxi-atacado/ https://newtrade.com.br/atacado/walmart-de-franca-dara-lugar-ao-maxxi-atacado/#respond Mon, 11 Nov 2019 12:53:32 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021267

A informação da mudança pegou muita gente de surpresa.

O post Walmart de Franca dará lugar ao Maxxi Atacado apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

A unidade do Walmart de Franca vai fechar. Em seu lugar será aberto um novo empreendimento chama Maxxi Atacado. A marca pertence ao conglomerado do Grupo Big, que nos últimos meses assumiu o comando da rede de supermercados no país. As trocas ocorrem pouco mais de um ano após 80% de suas operações terem sido adquiridas pela empresa de investimentos Advent. A informação da mudança pegou muita gente de surpresa.

A notícia começou a circular depois que a rede notificou 11 lojistas que alugam os pontos comerciais no prédio que o hipermercado que fechará as portas a partir da próxima segunda, 11. De acordo com o advogado dos lojistas, Cristian Barini, o Walmart notificou os comerciantes das galerias e alguns promotores que a loja irá funcionar até domingo, 10. Ainda segundo Barini, a notificação tem um prazo de 30 dias para que os lojistas desocupem os espaços que ocupam atualmente, mas, apesar do prazo oficial, já informaram que no domingo a loja será fechada. O desanimo e tristeza era visível no começo da tarde desta quarta-feira, 6. A equipe do GCN esteve no prédio, mas ninguém quis comentar o fato oficialmente. O movimento era normal.

Em nota, o Grupo Big confirmou que irá encerrar as atividades do Walmart. Segundo a empresa, a unidade passará por reforma. Para os funcionários, que não especificou a quantidade, foram ofertadas possibilidade de mudança para outras unidades da marca.

“O Grupo BIG informa que a unidade de Franca entrará em reforma e, em breve, reabrirá em um novo formato, pronta para superar as expectativas dos clientes. O Grupo esclarece que ofereceu aos funcionários a opção de transferência para outras lojas. A empresa reforça o seu compromisso de crescer e continuar investindo, gerando empregos na região. Com foco na revisão do modelo operacional das lojas, essa mudança faz parte de um investindo R$ 1,2 bilhão em suas lojas nos próximos 18 meses, que passarão por um processo de renovação e atualização de seus ativos para propiciar uma experiência de compra cada vez melhor. A loja de Franca será convertida em Maxxi Atacado”.

As mudanças

A rede de varejo Walmart Brasil​ decidiu mudar sua marca no país para Grupo Big, em agosto deste ano. A troca ocorre cerca de um ano após 80% de suas operações terem sido adquiridas pela empresa de investimentos Advent.

Os atuais gestores da companhia tinham um prazo de até três anos para seguir usando a marca americana, contados da data da compra da empresa. Pesaram na decisão de antecipar a mudança, de um lado, a possibilidade de reduzir o pagamento de royalties e, de outro, o plano de mudar o perfil da rede já apresentando ela com uma nova marca.

A companhia informa que tem como plano reforçar o investimento no canal atacarejo e em clubes de compras.

Nessa direção, afirma que irá converter 10 hipermercados em lojas da rede de atacarejo Maxxi que hoje tem 43 unidades. Em comunicado, a empresa afirma que essa bandeira deve ser estratégica para a empresa e atender consumidores finais e comerciantes.

O Walmart prevê investimentos de R$ 1,2 bilhão no Brasil nos próximos 18 meses. O objetivo é a modernização e a ampliação de suas lojas. Elas terão maior foco nos formatos de atacarejo, explorados por rivais como GPA e Carrefour.

O post Walmart de Franca dará lugar ao Maxxi Atacado apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/walmart-de-franca-dara-lugar-ao-maxxi-atacado/feed/ 0
Grupo Muffato inaugura 18ª loja do Max Atacadista https://newtrade.com.br/atacado/grupo-muffato-inaugura-18a-loja-do-max-atacadista/ https://newtrade.com.br/atacado/grupo-muffato-inaugura-18a-loja-do-max-atacadista/#respond Thu, 07 Nov 2019 12:05:13 +0000 https://newtrade.com.br/?p=1021216

O empreendimento gerou 400 empregos na cidade, sendo 250 diretos e 150 indiretos.

O post Grupo Muffato inaugura 18ª loja do Max Atacadista apareceu primeiro em Newtrade.

]]>

O Grupo Muffato inaugura, nessa sexta-feira, 8, às 8h, em Ponta Grossa, a 18ª loja do Max Atacadista – bandeira de cash & carry do Grupo Muffato. Esse é o quinto empreendimento da empresa na cidade que, juntos, somam 1.600 empregos, entre diretos e indiretos.

Localizado na Avenida Souza Naves, 2420, no bairro Chapada, o Max Atacadista de Ponta Grossa tem 13,5 mil m2 de área construída, 5,5 mil m2 de área de vendas, 34 checkouts, um mix de 15 mil itens e estacionamento gratuito com mais de 300 vagas.

O cash conta ainda com a Alameda Max com praça de alimentação com 80 lugares, restaurante, cafeteria, farmácia, caixas eletrônicos, assistência técnica e acessórios para celular.

O empreendimento gerou 400 empregos na cidade, sendo 250 diretos e 150 indiretos.

O post Grupo Muffato inaugura 18ª loja do Max Atacadista apareceu primeiro em Newtrade.

]]>
https://newtrade.com.br/atacado/grupo-muffato-inaugura-18a-loja-do-max-atacadista/feed/ 0